BOLETIM EXTRAORDINÁRIO DO MUNDO POP

|



Ainda estamos em ritmo de festa e por isso nossa coluna não está a todo o vapor. Mas como prometido, sempre que houvesse alguma notícia bacaníssima do mundo pop, iríamos comentar aqui. 

Então se você ainda não estava sabendo, prepare-se porque tem...



BEYONCÉ NO BRASIL EM SETEMBRO


Após arrasar no SuperBowl em Fevereiro deste ano, com direito a reunião do Destiny’s Child, a cantora norte-americana confirmou que sairia em turnê mundial, com a então batizada “Mrs. Carter Show”.

Se você perdeu o SuperBowl, nosso amigo YouTube está aqui para te salvar. 




E para divulgar a tour, ela não poupou ouro, glamour e riqueza em seu trailer promocional. Para deixar qualquer recalcada dura de inveja.




Ainda prefiro não comentar nada sobre datas, pois a única certeza é a de que ela fará uma apresentação no RockInRio no dia 13 de Setembro (já comentei sobre isso aqui na Coluna). 

Boatos que ela vai para Belo Horizonte também no dia 11 de Setembro. Quase tive uma parada cardíaca ao ouvir outro boato de que ela poderia vir aqui para minha cidade, Curitiba. Mas tudo ainda são rumores.



Já está no YouTube também uma filmagem feita por fãs de vários pedaços do show, um destaque é para a música nova “Grown Woman”, batida boa, coreografia abusada e é Beyoncé, não preciso falar mais nada. 

Confere aqui o que nos aguarda.


Na letra, Bey continua cantando sobre woman power, ela canta “Sou uma mulher crescida, eu posso fazer o que eu quiser”. Vamos aguardar mais informações, e fiquei sabendo que ela quer que os ingressos sejam vendidos pelos menores preços possíveis. 

Tá bom ou quer mais?! 

Espera que tem mais um pouquinho, saiu a versão oficial da música “Grown woman”, ouça e se joga e morra aqui comigo:





AINDA SOBRE TURNÊS PODEROSAS...




Tia Madge abocanhou três prêmios Billboard este ano. Ela foi premiada nas categorias “Top Touring Artist” com sua MDNA Tour (abalativa) e também levou prêmios nas categorias “Dance Album” e “Dance Artist”.

Foi apresentada por Will.i.am e neste momento pudemos ver um trailer alucinante da Turnê. 

Não vejo a hora de chegar o DVD. Se não for o trailer oficial para divulgar o mesmo, ao menos serve para ter uma ideia do que vem por aí (para os que não puderam ir ao show).







Por hoje é só. Espero que tenham gostado e até a próxima!












Fonte: musica.uol.com.br / www.guiabh.com.br / br.eonline.com
Imagens: files.bey-fas.webnode.com.br / dontskip.com / www.pitchfork.com / www.rap-up.com  / www1.pictures.zimbio.com




Filmes maio – 2013

|


Eu costumo ir pelo menos uma vez por semana ao cinema, mas esse mês tem sido difícil, tudo por conta dos poucos lançamentos.

Acho que tem a ver com o verão no hemisfério norte e as produtoras aguardam chegar junho e julho para lançar os filmes para as férias. E aí maio é um mês de poucas novidades.

Então vamos aos três que eu assisti:


O homem de ferro 3

Achei que o filme atendeu bem o que se propôs, bastante ação, efeitos especiais e aquela pitada de humor característica do personagem.


Mas não surpreendeu, acho que faltou um bom vilão e os efeitos em 3D mais uma vez foram daquele jeito... desnecessários para o público e apenas feito para arrecadar mais dinheiro.

Recomendo assistir sem o recurso 3D.

Quer saber do que se trata o filme, clica aqui para ver a sinopse. 




Um bom partido

Filme com Gerard Butler!!! - só aí já vale a minha ida ao cinema! 

Mas também é só. Nem contando com nomes de peso em seu elenco como: Jessica Biel, Uma Thurman, Dennis Quaid e Catherine Zeta-Jones, salvam a história de um filme sessão da tarde.


O filme não se enquadra no drama e muito menos nos clássicos de comédia romântica, falta comédia, falta romance e uma personalidade mais ativa do personagem de Butler - que é emocionalmente fraco e indeciso, fazendo com que toda a sua vida seja decidida pelos outros personagens.

Um filme para ser assistido em casa com um balde de pipoca.

Quer saber mais sobre a história, clica aqui.




Somos tão Jovens

Taí um filme que eu queria muito assistir, principalmente por que sou muito fã de Legião Urbana e tudo o que envolve a banda eu curto.

O ator Thiago Mendonça deu conta do recado, ele se saiu bem ao interpretar os trejeitos do cantor e conseguiu construir um personagem contraditório, assim como era o Renato que eu conheci pelas entrevistas e canções.



O filme traz para as telas o início do Aborto Elétrico, a relação de Renato com o punk (ele falou sobre isso em uma entrevista para a Capricho publicada aqui) e principalmente a relação de amizade entre Renato e sua amiga Aninha, muito bem interpretada pela atriz Laila Zaid.

O filme deixa um gostinho de quero mais, não sei se por que faltou alguma coisa ou se a saudade é tanta que impossível não sair cantarolando as músicas.



Agora só resta esperar para ir conferir Faroeste Caboclo nas telonas e tentar mais uma vez, preencher a lacuna deixada pelo Legião Urbana na vida de seus fãs.

Que dramática eu fui, hein? Mas o que esperar de mim, que ao final do filme chorei... pelo tempo que passou, rs.

... Nem foi tempo perdido
Somos tão joooovens...

Mais sobre o filme, você confere aqui




A partir dessa semana passarei a publicar os posts duas vezes na semana – tomando vergonha na cara, rs. -  Agora toda segunda e quinta, você encontra novidades por aqui.

Então até quinta-feira Rafaelando mais por aqui.




Revista Capricho - Maio 1994

|

Olá!

Mais uma segunda-feira Rafaelando por aqui. Como foi a semana passada?

Fico me perguntando como (no ano passado) eu conseguia postar todos os dias?! Ainda não peguei no tranco, rs. Mas continuarei tentando...

Vamos ao que interessa?! Hoje é dia de rever mais uma revista Capricho do fundo do baú e estamos em maio de 1994.


E advinha quem dava as caras? Simmmm – Luanita Piovani.


E olha só ela tinha uma amiga, será que a amizade resistiu ao temperamento tempo da modelo favorita da Capricho?




E já que estamos falando dela, vou adiantar algumas páginas para mostrar Luaninha fazendo o Zequinha – personagem de coleção paranaense que era retratado em diversas profissões, lugares...









E como sempre, encontro carinhas conhecidas perdidas em cada edição...


Luke Perry, fazia enorme sucesso em Barrados no Baile e aqui aparecia sem o famoso topetinho.





Luigi Barrichelli, como assim esse não é seu nome?! Chocada! Kkk.




Adriana Lessa é você? Antes de ser mãe do clone Murilo Benício era modelo?






Falando nele, olha ele aí...





E olha quem encontrei! Meu queridinho Márcio Lindo Gracinha Garcia.



Isabel Fillardis quando ainda tinha o rosto de menina sapeca...






Tinha também o Marcelo Serrado com cara de coitado, rs.






Taís Araujo é você sua linda?! Me conta o segredo do formol... Ano passado ela esteve por aqui estampando a capa da Revista Capricho de novembro 1995.





Ai meodeows!!! Quem lembra dessa propaganda do Guaraná com o Rodrigo Santoro?!







Ainda na onda, recordar é viver... mais uma figurinha conhecida, dessa vez em uma reportagem sobre cortes de cabelo.







Olha isso – o formato da sua boca revela a sua personalidade, mas se acha que a Capricho vai fazer a fofa e só falar coisas boas sobre sua persona... confere aí.






Eu não recortava minhas revistas, mas essa eu recortei... recortei U2 para colar na minha agenda, me espanta eu não ter colado a página toda, já que essa é a minha música favorita!





O certo e errado veio daquele jeito... o que me chamou a atenção foi a frase da estilista da Levi`s.







E por fim, quem lembra da edição de março em que eu falava que queria ser estagiária da Capricho? Não lembra? 




Pois bem, eu recebi uma mensagem de um leitor(a) que abriu meus olhos, pois eu não tinha reparado que a estagiária era ninguém mais, ninguém menos, do que a filha de Elis Regina – Maria Rita.




Viu só mãe, se você fosse cantora ao invés de secretária eu poderia ter sido estagiária da Capricho... kkk. 

Prevejo em um futuro próximo minhas filhas falando o mesmo, hahaha

Em tempo, te amo mãe! :))





Lembra da edição da Capricho de maio de 1995 publicada no ano passado? Não? 



E até segunda-feira que vem. Boa semana, divirta-se!




Resenha do livro A Hospedeira

|

Olá,

Essa semana, como prometido aqui, vou te contar o que eu achei do livro A Hospedeira, da escritora Stephenie Meyer, a mesma autora da saga Crepúsculo.



Stephenie tem um jeito bem peculiar de retratar seres que normalmente são assustadores, veja o caso dos vampiros e lobisomens de Crepúsculo, e com A Hospedeira não foi diferente.

O livro trata sobre alienígenas bonzinhos, que ao contrário daqueles invasores cruéis, na criação da autora, são seres que não possuem corpos e por isso precisam habitar outros planetas para encontrar hospedeiros.

Aí você me diz: Ahh mas eu não gosto de histórias de ficção...



Calma, deixa eu te explicar a trama:

Em um futuro o planeta Terra foi invadido por alienígenas, mas ao contrário das invasões clássicas, essa foi silenciosa e a maioria dos humanos não percebeu o perigo, já que os invasores passaram a habitar os corpos de maneira pacífica, seguindo suas vidas sem alteração.

Com o passar do tempo, alguns humanos perceberam a ameaça e tentaram lutar, mas era tarde, o planeta já tinha sido invadido.

Melanie, é uma dessas humanas "selvagens" que ainda resistem, ela é capturada e a alienígena Peregrina é a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: Melanie se recusa a desistir da posse de sua mente.

Peregrina e Melanie passam a compartilhar a mesma mente e os mesmos sentimentos e por mais que a invasora domine seu novo corpo, Peregrina não consegue deixar de sentir-se atraída por aqueles que sua hospedeira amava, incluindo Jared, o grande amor de Melanie. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa pelo homem que ambas amam.


E é aí que tudo acontece! 



Como as duas podem conviver dentro de um mesmo corpo e se tornar aliadas? E como conviver com outra pessoa que além de tomar seu corpo ainda ama seu grande amor?


Vou te dizer que o início do livro pode ser bem cansativo e até um pouco confuso, afinal a autora precisa contar sobre como é a nova vida na terra, sobre a vida da Melanie, da Peregrina e as conversas entre elas... UFA!

Comecei a ler o livro em dezembro do ano passado e só fui terminar depois que eu fiz a cirurgia no início desse ano e não podia fazer nada além de ler e ver tv.

Entretanto depois que o livro engrena não dá para parar e eu ri, fiquei com raiva e até chorei nos capítulos finais, a danada da autora sabe como tocar e envolver o leitor.



Comprei o livro nas Lojas Americanas e paguei baratinho. Então se está procurando um livro com uma história bacana e baratinho te indico esse.

E se você tem o livro aí abandonado, dê uma chance por que a história é legal e a autora não descarta a possibilidade de continuações.



É isso, semana que vem volto Rafaelando mais por aqui.

Até lá.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Layout por Xiricutico.blogspot.com para uso exclusivo de Rafaela. Proibida a cópia!
Tecnologia Blogger